Inscreva-se em nossa news


Capital social: como fortalecê-lo por meio de networking para uma carreira de sucesso

A colunista Monyse Almeida explica como se aproveitar do networking em um mundo que privilegia eventos à distância. “A vantagem competitiva e parcela significativa do seu mérito é, inegavelmente, fruto do seu capital social.”

Por Monyse Almeida

Hoje você pode assistir a aulas com os papas de todas e quaisquer áreas do conhecimento. Basta ter tempo, força de vontade, disciplina e uma conexão WiFi… E viva o Google!

Hoje você pode assistir a qualquer evento, show, palestra, TED incrível e em tempo real por streaminglive, IGTV, youtube… E viva o seu sofá!

Inegável…Tudo isso é bom demais.

Mas e os eventos presenciais? Seria o fim? Estariam eles condenados à extinção?

Não vá para nenhum desses lugares  para ouvir o que as ditas autoridades do assunto têm a falar.

Não  por isso, mas vá também por isso.

E também…

Vá pelo fato de ter a chance de encontrar potenciais pessoas interessadas pelas mesmas coisas que você. Lembre-se dentre as infinidades de coisas interessantes que existe neste mundão, vocês já tem algo em comum: estão no mesmo tempo e lugar. Grande sintonia!

Vá porque às vezes vai valer mais a pena por tão somente isso.

Muitas vezes o artista (lato sensu – “em sentido amplo”) já entrou em piloto automático, robotizou as falas, os aprendizados, as piadinhas e (acredite!) robotizou até as emoções…e isso pouco acrescentaria a você. Até porque, às vezes, o livro, a playlist do spotify  ou o review é melhor sintetizado e poupa menos o seu tempo/esforço/dinheiro. Verdade seja dita.

Vá de cabeça aberta e com real intenção de ter bons encontros. Em construir com intenção a sua rede de pessoas legais por perto. Há quem chame de networking (ô palavra feinha! Ao menos me remete a uma dose de interesse econômico. Mas, por que também não?). As melhores coisas da vida não acontecem do dia pra noite. E por que seria diferente com a sua rede profissional e até pessoal?

Networking e capital social

Tem uma determinada fase da vida profissional que fica tão latente, óbvio e cristalino que a vantagem competitiva e parcela significativa do seu mérito é, inegavelmente, fruto do seu capital social. Esse ativo que anda valendo mais que ouro na Dow Jones!

Paradoxalmente, é possível fazer um zilhão de ressalvas e apontar injustiças quanto a este “modus operandi” e estes privilégios de “amigos do rei”. Enfim, estamos juntos no olhar histórico, sociológico e antropológico. Sem ingenuidades aqui, ok?

Mas parece que a vida flui melhor quando a gente diminui as críticas, olha friamente para a realidade, a entende e a compreende, cede com ressalvas, a alinha com os nossos valores inegociáveis e repactua os nossos comportamentos e os nossos limites com nós mesmo.

Há quem chame isso de maturidade! Ainda não sei, mas também não encontrei palavra melhor.

Como diria o poetinha Vinícius de Moraes, “a vida é feita de encontros, embora haja tantos desencontros pela vida”.

Sobre a autora

Monyse Almeida ama fotografia, teatro, artesanato. Hoje é escritora, copywriter e empreendedora, além de bailarina e yogini.

Além disso, toca uns projetos paralelos: @fuso.luso e @galeria.hygge.

Fonte:  https://www.napratica.org.br/networking-e-capital-social-coluna/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *